COLABORE

Comunidades atingidas pelas enchentes na Bahia recebem Cáritas Bélgica e Cáritas Suíça

Áreas de Atuação

Nos dias 13 e 14 de junho, representantes realizaram o monitoramento das ações do programa Resposta Emergencial Bahia e Minas Gerais.

Publicação: 15/06/2022




Bairro Salobrinho, Ilhéus/BA.



O coordenador administrativo financeiro da Cáritas Suíça no Brasil, Romero Santana, e o representante do Setor de Cooperação Internacional da Cáritas Bélgica, Saul Pajaron Hornero, estiveram em Ilhéus, Itabuna e Itajuípe, na Bahia, para uma série de visitas às comunidades afetadas pelas consequências das fortes chuvas do final do ano passado. 



A atividade aconteceu nos dias 13 e 14 de junho, e o objetivo foi o monitoramento das ações do programa Resposta Emergencial Bahia e Minas Gerais. O projeto é uma realização da Cáritas Brasileira, com o financiamento da Cáritas Bélgica, Cáritas Suíça e Direção-Geral da Proteção Civil e das Operações de Ajuda Humanitária da União Europeia (DG ECHO).






Visita à residência de José Oliveira Santos, que reconstruiu parte da residência destruída pela enchente do rio Cachoeira com o recurso do cartão multipropósito. Bairro Salobrinho, Ilhéus/BA.



Além das visitas às casas das famílias beneficiárias, os representantes participaram das entregas de kits de limpeza, de higiene familiar e de higiene infantil, bem como da distribuição dos cartões multipropósito na Igreja Maria Goretti, bairro Mangabinha, Itabuna/BA, que contou com a bênção de Dom Carlos Alberto, bispo da Diocese de Itabuna.



Desde fevereiro de 2022, a iniciativa tem atuado junto às famílias atingidas em Itabuna, Ilhéus, Itajuípe, Itamaraju, Jucuruçu, Dário Meira (Bahia), Palmópolis e Rio do Prado (Minas Gerais). Ao todo serão 24.000 pessoas beneficiadas com a distribuição dos cartões multipropósito e dos kits.






Bênção de Dom Carlos Alberto, bispo da Diocese de Itabuna, durante entrega de cartões na Igreja Maria Goretti, bairro Mangabinha, Itabuna/BA.





Entrega de kits na Igreja Católica do Salobrinho, Ilhéus/BA.















Saul Pajaron Hornero, representante do Setor de Cooperação Internacional da Cáritas Bélgica, e Mariana de Oliveira Estevo, coordenadora do projeto Resposta Emergencial Bahia e Minas Gerais.



“Temos acompanhado o projeto de perto desde o início, por meio das reuniões mensais, portanto, a visita teve por intuito confirmar o bom andamento das ações e também entender os desafios enfrentados pelas equipes”, explicou Saul Pajaron Hornero, gestor financeiro na Cáritas Bélgica. “Estou contente e emocionado de ver que as comunidades estão muito agradecidas, que as equipes estão bastante organizadas e que o trabalho está fluindo bem”, completou.





 Meire Luce Ramos de Souza Reis, assessora regional da Resposta Emergencial para o estado da Bahia, e Romero Santana, coordenador administrativo financeiro da Cáritas Suíça no Brasil.



Para Romero Santana, coordenador administrativo financeiro da Cáritas Suíça no Brasil, “o impacto do projeto está sendo bastante positivo para as famílias beneficiadas e o recurso está sendo bem empregado”. E ainda acrescenta: “De fato estamos vendo uma transformação na vida dessas pessoas que perderam tudo ou grande parte de suas coisas, estamos acompanhando uma recuperação, tanto na volta às suas residências, que foram atingidas, quanto na questão da resiliência em voltar a viver, voltar a sorrir, voltar a ter esperança”.




Também participaram da agenda a coordenadora do projeto Resposta Emergencial Bahia e Minas Gerais, Mariana de Oliveira Estevo, a assessora regional para o estado da Bahia, Meire Luce Ramos de Souza Reis, além do Secretário da Cáritas Brasileira Regional Nordeste 3 Bahia e Sergipe, Jardel Nascimento, que acompanhou a situação das famílias em janeiro, logo após as chuvas.






Mariana e Jardel em visita à beneficiária Valdete Muniz Gama, que aplicou o recurso do cartão multipropósito para reconstruir sua casa, parcialmente atingida pelas inundações no bairro Salobrinho, Ilhéus/BA.



“É perceptível no semblante mais tranquilo das pessoas, o impacto positivo do projeto e a gratidão à Igreja, à rede Cáritas, à força do voluntariado mobilizado pelas dioceses e paróquias, à ação dos agentes, ao apoio das organizações de ajuda humanitária nesse momento de reconstrução, não somente dos bens perdidos, mas sobretudo da vida, da dignidade”, observou Jardel Nascimento. “Para nós é gratificante voltar aqui hoje e perceber que a missão da Cáritas, que é a missão da Igreja, se concretiza nesses momentos”, acrescentou.



Incidência



Durante a rodada de visitas às comunidades afetadas, a equipe teve a oportunidade de saber mais sobre o retorno do poder público quanto à situação das famílias. “Nos relatos de grande parte das visitas constatamos que, infelizmente, o poder público não cumpriu efetivamente o seu papel”, relatou Jardel. “É preciso realmente ter uma unidade de forças, com a efetivação das políticas públicas necessárias para trazer mais alento e tranquilidade às famílias”, completou.




Fotos: Guthierry Andrade



Tag