COLABORE

Cáritas inicia distribuição de benefícios para apoio às famílias atingidas pelas enchentes

Áreas de Atuação

Primeira etapa da entrega de cartões multipropósito será realizada em 6 municípios baianos e em 2 municípios mineiros.

Publicação: 29/03/2022



A iniciativa é realizada pela Cáritas Brasileira, com o apoio da Direção-Geral da Proteção Civil e das Operações de Ajuda Humanitária da União Europeia (DG ECHO), Cáritas Bélgica e Cáritas Suíça. Em janeiro de 2022, representantes das entidades financiadoras realizaram duas visitas oficiais às comunidades afetadas. Foto: Guthierry Andrade


Entre os dias 30 de março e 06 de abril, agentes Cáritas estarão mobilizados para a primeira etapa da entrega dos cartões multipropósito nos municípios de Ilhéus, Itabuna, Itajuípe, Itamaraju, Jucuruçu e Dário Meira, na Bahia, Palmópolis e Rio do Prado, em Minas Gerais. Os cartões, com o valor de R$ 3.000, poderão ser utilizados em supermercados, lojas, farmácias, mercearias e demais estabelecimentos. A iniciativa integra as ações do programa Resposta Emergencial Bahia e Minas Gerais, que tem por objetivo atender às necessidades emergentes de aproximadamente 24.000 pessoas. 


A seleção para o recebimento dos benefícios é baseada em critérios de vulnerabilidade, voltado às famílias que perderam a moradia por completo ou tiveram o imóvel interditado pela Defesa Civil, além daquelas que perderam todos os bens materiais da residência. Além disso, serão priorizados os círculos familiares chefiados por mulheres, casas com muitas crianças, pessoas idosas e pessoas com deficiência. Portanto, o projeto busca contemplar os grupos mais vulneráveis dentre a população atingida pelas enchentes. 


“O cartão com recurso financeiro para múltiplas finalidades chega em um momento muito importante para essas famílias. Acontece após uma seleção criteriosa e participativa com as comunidades integrantes do projeto de ajuda humanitária, a fim de atender as necessidades específicas de cada núcleo familiar”, sublinha Valquiria Lima, coordenadora nacional da Cáritas Brasileira. “A possibilidade de se ter um crédito de R$3.000, a partir do qual é possível definir, no âmbito familiar, o que é mais necessário e imediato para aquisição no momento, fortalece a autonomia e o protagonismo das pessoas”, acrescenta.



O Sr. José da Lapa Assunção do Amparo, pescador da comunidade Banco da Vitória, em Ilhéus/BA, reconstruiu a moradia com os blocos da própria casa que desabou. Ele será beneficiado com o cartão nesta sexta-feira (01/04).


O auxílio monetário na forma de cartão multipropósito é um dos eixos de ação humanitária, que também inclui a entrega de kits de higiene e limpeza, bem como o apoio à estruturação e ao fortalecimento de abrigos. A realização é da Cáritas Brasileira, com o apoio da Direção-Geral da Proteção Civil e das Operações de Ajuda Humanitária da União Europeia (DG ECHO), Cáritas Bélgica e Cáritas Suíça.


Incidência e proteção



Agente Cáritas em Itabuna, Bahia.


Em fevereiro deste ano, as equipes do programa Resposta Emergencial Bahia e Minas Gerais deram início às atividades de campo. De lá para cá, as/os agentes Cáritas vêm realizando o cadastramento das famílias das comunidades afetadas pelas enchentes de dezembro de 2021.


A partir dessa coleta de dados é possível avaliar, detalhadamente, a situação das/os moradoras/es e identificar quais já receberam alguma assistência do Estado, para assim determinar o tipo de apoio caso a caso. Além disso, as informações têm dado subsídio às equipes, a fim de que essas possam direcionar esforços na incidência junto ao poder público.


Portanto, o trabalho não se encerra no processo de cadastramento e entrega dos benefícios. Envolve também o monitoramento das famílias e os respectivos graus de vulnerabilidade, no intuito de indicar caminhos para o acesso às políticas públicas.


“A partir dos relatórios das equipes, percebemos onde a incidência poderá ocorrer, de que forma se manifestam os quadros de vulnerabilidade, onde podemos atuar em conjunto com as secretarias municipais, a partir das demandas que estão sendo identificadas, como PCD’s sem auxílio, mulheres chefes de família menores de idade precisando de orientação, casos de violência contra a mulher”, explica Mariana de Oliveira Estevo, coordenadora do projeto. “Estamos construindo esse fluxo, identificando demandas, firmando parcerias e fortalecendo a articulação com os órgãos municipais, no intuito de estabelecer o plano de incidência”, completa.


Luta diária


Durante os cadastramentos, as equipes de campo têm realizado um processo de escuta das histórias dessas famílias atingidas, dividindo as dores e os traumas que persistem meses após as enchentes.



Agentes Cáritas em Itamaraju, Extremo Sul da Bahia.


“Encontramos muitas pessoas que tiveram de voltar para suas casas, mesmo com risco de desabamento e alta vulnerabilidade”, relatou o educador social Valdir Limeira dos Anjos, que atua no município de Palmópolis, Minas Gerais.


As/os agentes Cáritas escutam depoimentos das pessoas afetadas diretamente e também das que não tiveram suas casas invadidas pela água, mas contribuíram no socorro àquelas atingidas.


“Todos os depoimentos são de cortar o coração. Algumas fotos talvez possam ilustrar o ocorrido, mas para quem viveu aquela situação, ficará um trauma eterno, como relata um casal de idosos que já não dorme direito com medo”, disse Valdir.



Essa é a Sra. Iraci, moradora do distrito de Coqueiro, município de Jucuruçu, na Bahia. A agricultora familiar perdeu o marido na enchente, quando o mesmo tentou resgatar o veículo. Ao atravessar o rio de canoa, acabou sendo levado. Ela voltou à residência para não perder o tempo de trabalho na terra. Essa foi a primeira vez que a Sra. Iraci atravessou o rio novamente após o ocorrido.


Novos alagamentos, novos riscos




Os assessores da Cáritas Brasileira atuantes no território de Dário Meira, na Bahia, ao visitarem as famílias do município, encontraram algumas ruas repletas de lama, lixo, entulhos e geladeiras retiradas das casas pela enchente. Após três meses das inundações de dezembro de 2021, os moradores de Dário Meira, assim como das demais cidades mineiras e baianas atingidas, ainda clamam por ajuda para reconstruir suas casas, obter móveis destruídos e até mesmo itens de subsistência.


Na última semana, houve novos alagamentos no município. Revoltada, a população interditou ruas com manilhas que se encontravam abandonadas pela prefeitura há quase um ano. As peças seriam utilizadas em uma obra de drenagem, nunca realizada pelo poder municipal.




Cronograma da primeira etapa de entrega dos cartões multipropósito:


BAHIA

Itabuna/Ilhéus/Itajuípe: 01/04 na comunidade de Banco da Vitória, em Ilhéus

Itamaraju/Jucuruçu: 30/03 em Jucuruçu

Dário Meira: 06/04 no bairro Sonho Meu


MINAS GERAIS

Rio do Prado/Palmópolis: 04/04 em Palmópolis e 05/04 em Rio do Prado


Tag