Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte

Projeto de cisterna em escolas rurais beneficia 5.500 pessoas no Agreste e Sertão de Pernambuco

05 de dezembro de 2018

Sete escolas em comunidades rurais, quilombolas e indígenas foram contempladas.

A educação contextualizada para Convivência com o Semiárido, aliada aos processos de aprendizagem que estimulem compreender a relação com a natureza, com o lugar em que vivemos, com os impactos que nossas ações causam no meio ambiente, além de iniciativas que fomentem hábitos sustentáveis e ecologicamente corretos, foram alguns dos conteúdos trabalhados nas comunidades rurais escolares contempladas com o Projeto Águas para Educar, uma parceria da Cáritas Diocesana de Pesqueira com a Fundación Avina,  e a Água AMA – água mineral produzida pela AMBEV.

A escassez de água muitas vezes compromete a continuidade do calendário escolar em muitas escolas rurais, pensando nisso, sete dessas escolas dos municípios de Pesqueira (1), Buíque (3), Sertânia (1), Tupanatinga (1) e Sanharó (1),receberam cisternas para a captação de água das chuvas com capacidade para armazenar 52 mil litros; em seis delas houve a implantação de bioáguas para a produção de hortas e pomares; e em uma a  implementação de cisterna e horta.

Com nove meses de execução, as etapas do Projeto consideraram a participação da comunidade escolar nas atividades de mobilização, formação com cursos, nos intercâmbios, nas atividades práticas e pedagógicas ressaltando a apropriação  dos alunos e professores. Para a secretária executiva da Cáritas Diocesana de Pesqueira, Neilda Pereira, “a realidade das  escolas rurais em algumas cidades do Agreste e Sertão do Estado, é que a escassez de água  compromete o calendário escolar , além de todas as atividades das escolas. E com a chegada do Projeto Águas para Educar, e a construção da cisterna essa realidade não é a mesma, pois, o reservatório de 52.000 litros tem sido parte da solução deste e outros problemas”, comenta.

Ela finaliza, “além da cisterna também implementamos os sistemas de reuso de água, que são os bioáguas, e em algumas escolas existem horta e pomar destinados ao complemento  da  merenda escolar, e garantia de segurança alimentar”.

Nesta quinta-feira (6), três escolas rurais contempladas com o Projeto Águas para Educar, irão inaugurar as tecnologias implantadas, com a presença de representantes da Cáritas Diocesana de Pesqueira, Fundação Avina, Água AMA, e parceiros locais. São elas: a Escola Municipal Maria Adelzira Teixeira Cavalcante, na comunidade rural Mata Verde, em Tupanatinga; a Escola Estadual Indígena Kapinawá, na comunidade  indígena Mina Grande, em Buíque; e a Escola Municipal Governador Eduardo Henrique Accioly Campos, na comunidade quilombola Negro do Osso, em Pesqueira. As demais serão inauguradas até o mês de janeiro.  

Serviço 

Projeto Águas para Educar

Quando: quinta-feira (6)

Onde: Escola Municipal Maria Adelzira Teixeira Cavalcante, na comunidade rural Mata Verde, em Tupanatinga- a partir das 8h;

Escola Estadual Indígena Kapinawá, na comunidade indígena Mata Verde, em Buíque, a partir das 11h;

Escola Municipal Governador Eduardo Henrique Accioly Campos, na comunidade quilombola Negro do Osso, em Pesqueira, a partir das 14h.

MAGRE BRASIL

Faça parte dessa rede

Redes Sociais

Cáritas Notícias

Cadastre-se e receba por e-mail nossos informativos.
Prestação de Contas

Contato

Cáritas Brasileira
SDS - Bloco P - Ed. Venâncio III
Sala 410 - CEP: 70393-900


Brasília/DF
+55 (61) 3521-0350

caritas@caritas.org.br