Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte
← Voltar

“É intolerável que milhares de pessoas morram diariamente de fome”. Francisco a Davos

“É intolerável que milhares de pessoas ainda morram diariamente de fome, apesar das grandes quantidades de alimentos disponíveis e, muitas vezes, simplesmente desperdiçados”. Consciente das suas fortes e dramáticas palavras, Francisco escreve uma importante mensagem ao presidente e fundador do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, por ocasião da abertura do 44º encontro anual que acontecerá em Davos, Suíça (de 22 a 25 de janeiro). O texto foi lido pelo cardeal Peter Turkson, presidente do Pontifício Conselho Justiça e Paz do Vaticano.

A reportagem é de Mauro Pianta e publicada no sítio Vatican Insider, 21-01-2014. A tradução é de André Langer.

Além disso, o Pontífice recorda que “não podem deixar de nos impressionar os inumeráveis refugiados que, buscando condições de vida com um mínimo de dignidade, não só não conseguem encontrar hospitalidade, mas que muitas vezes morrem tragicamente enquanto se deslocam de um lugar para outro”. 

Por isso Francisco destaca com ênfase a necessidade de “um renovado, profundo e amplo sentido de responsabilidade por parte de todos”, além de “mecanismos e processos com vistas a uma melhor distribuição da riqueza, criação de fontes de emprego e promoção integral do pobre, que vai além de uma simples mentalidade assistencial”.

O Papa insiste em que “o crescimento da igualdade requer algo mais que o crescimento econômico, embora o pressuponha. Tal crescimento requer, em primeiro lugar, ‘uma visão transcendente da pessoa’ (Bento XVI, Caritas in Veritate, 11), porque ‘sem a perspectiva de uma vida eterna, o progresso humano neste mundo fica sem fôlego”. Por isso, “uma abertura tal ao transcendente pode dar forma a uma nova mentalidade política e econômica, capaz de reconduzir toda a atividade econômica e financeira dentro de um enfoque ético que seja verdadeiramente humano”.

Citando sua encíclica Evangelii Gaudium, Francisco recorda que “‘A vocação de um empresário é uma nobre tarefa, desde que se deixe interpelar por um sentido mais amplo da vida’ (Evangelii Gaudium, 203). Deste modo, os homens e as mulheres podem servir mais eficazmente ao bem comum e fazer com que os bens do mundo sejam mais acessíveis para todos”. Ao concluir a mensagem, Francisco pediu aos empresários que se esforcem “para que a humanidade se sirva da riqueza e não seja governada por ela”.

Fonte: IHU