English
Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte

Ceará: Ministério Público pede a prisão dos acusados pela morte do agricultor Zé Maria do Tomé

03 de julho de 2012
platacao de banana

Após dois anos de muita pressão, na última terça-feira, 26, o Ministério Público Estadual (MPE), denunciou na 1ª Vara de Justiça em Limoeiro do Norte, Ceará, os acusados pela morte do agricultor José Maria Filho, conhecido como Zé Maria do Tomé, morto com 19 tiros, na Chapada do Apodi, Limoeiro do Norte, no dia 21 de abril de 2010.

A justiça pediu a prisão de João Teixeira Júnior, empresário do ramo de fruticultura, acusado como mandante do crime; José Aldair Gomes Costa, gerente da empresa de João Teixeira, além de Antônio Wellington Ferreira Lima e Francisco Marcos Lima Barros.

Zé Maria foi assassinado porque denunciava os conflitos de terra e lutava pelo fim da pulverização aérea e uso indiscriminado de agrotóxicos pelas empresas do agronegócio.

Em nota, o Movimento 21 (M21), organização que agrega diversas entidades, estudantes, sindicatos, ONGs, pesquisadores, afirmou que essa determinação foi uma grande conquista dos movimentos sociais.

Segue a Nota

BANANA DO AGRONEGÓCIO É IRRIGADA COM VENENO E SANGUE

Nota do Movimento21 sobre os Acusados do Assassinato de Zé Maria do Tomé

Diante de tanta impunidade, a organização e unidade dos movimentos sociais conquistaram uma importante vitória: a 1ª Vara de Justiça em Limoeiro do Norte recebeu na terça-feira (26) o pedido cautelar de prisão e a denúncia oferecida pelo Ministério Público Estadual contra os acusados da morte de Zé Maria do Tomé, liderança comunitária executada em 21 de abril de 2010.

Como o Movimento21 já anunciava, o agronegócio é o acusado pelos 25 tiros que tentaram silenciar a voz que denunciava os crimes socioambientais cometidos na região pelas empresas da fruticultura irrigada. As denúncias de Zé Maria sobre os conflitos de terra e sua luta pelo fim da pulverização aérea de agrotóxicos atingiam diretamente os interesses dos acusados, representantes da elite econômica e política do Estado do Ceará.

Foram dois anos e três meses de pressão, mobilização e luta para que o caso fosse investigado, esclarecido e revelado e, finalmente, podemos apontar que o AGRONEGÓCIO tem nome, rosto e endereço. São acusados pelo bárbaro crime: João Teixeira Júnior, proprietário da empresa de bananas Frutacor, José Aldair Gomes Costa, gerente da empresa, Antônio Wellington Ferreira Lima e Francisco Marcos Lima Barros, moradores da região.

De longa data, Zé Maria e as comunidades da Chapada do Apodi enfrentavam as várias faces da violência do agronegócio, denunciando a utilização irresponsável de agrotóxicos pelas empresas, que contaminam as águas e assassinam lentamente os moradores, agricultores e trabalhadores da região, obrigados a conviver com essa situação de injustiça e a ingerir suas doses diárias de veneno. Denunciavam também a expropriação das terras dos camponeses da região do Baixo Jaguaribe, em nome de poucas empresas latifundiárias do agronegócio da fruticultura irrigada e combatiam o avião que pulverizava substâncias altamente tóxicas por cima das residências, conseguindo mobilizar a população a aprovar lei municipal que proibiu a utilização das aeronaves para fins de pulverização aérea no município de Limoeiro do Norte, revogada após o assassinato.

Acreditamos que essa vitória indica uma nova fase na nossa luta pelo fim da impunidade dos casos de violência no campo. Continuaremos mobilizados: pressionando o Estado e os órgãos responsáveis, pois a efetivação plena de justiça só se dará com a PRISÃO DOS ACUSADOS e com a superação do modelo de desenvolvimento para o campo realizado pelo agronegócio gerador de tantas injustiças. Por isso, nosso apoio aos trabalhadores em greve da Empresa Delmonte e a todos que lutam contra a exploração do agronegócio e em defesa da vida.

Somos todos Zé Maria!

Zé Maria se faz presente em cada um de nós que continuamos a erguer as bandeiras das comunidades:

Pelo Fim dos Agrotóxicos!

Pelo Fim da Pulverização Aérea!

Pelo Fim dos Incentivos e Isenções Fiscais concedidos pelo Estado aos Agrotóxicos!

Pela Proibição dos Agrotóxicos banidos em outros países!

Fora Agronegócio e Agrotóxicos!

Por Justiça Social e Ambiental, Agroecologia, Reforma Agrária e Soberania Alimentar!

Limoeiro do Norte, 29 de Junho de 2012

por Jeane Freitas, Comunicadora Popular da Cáritas Brasileira Regional Ceará

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *


Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

SOS HAITI FURACÃO

Redes Sociais

Cáritas Notícias

Cadastre-se e receba por e-mail nossos informativos.

Contato

Cáritas Brasileira
SDS - Bloco P - Ed. Venâncio III
Sala 410 - CEP: 70393-900


Brasília/DF
+55 (61) 3521-0350

caritas@caritas.org.br