Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte

Cáritas busca consolidar dados sobre terremoto no Equador

18 de abril de 2016

Pelo menos 77 pessoas morreram em conseqüência do terremoto de 7,8 graus na escala Richter registrado neste sábado, dia 16 de abril, no Equador, de acordo com informações do governo nacional. Conforme a Colômbia Geological Survey, o terremoto ocorreu às 18h58 (horário local), a uma profundidade de 19,2 quilômetros no Oceano Pacífico. O epicentro do tremor foi a 27 quilômetros da cidade de Muisne, perto da fronteira com a Colômbia. Um alerta de tsunami foi gerado para o Equador, Colômbia, Costa Rica, Panamá e Peru.

O governo equatoriano declarou estado de emergência em seis províncias. Muisne está localizada a 173 quilômetros de Quito, capital do país. O terremoto sacudiu prédios na capital equatoriana por 40 segundos, e muitas pessoas correram para as ruas. O Tsunami Warning Centro do Pacífico previu a formação de ondas entre 30 centímetros e 1 metro na costa do Equador. Na Colômbia, o tremor foi sentido em cidades como Cali, Pasto e Popayan, de acordo com o Centro Nacional para a Gestão do Risco de Desastres.

O secretário-executivo da Cáritas Equador, Mauricio Lopez, em comunicação com Mons. Heras, presidente da Pastoral Social, está abrindo um canal de informações para acompanhar as consequências do desastre e propor ações solidárias neste momento doloroso para o Equador. A Cáritas está definindo as etapas a serem alcançadas para a ajuda humanitária, as quais serão repassadas assim que possível para a Caritas Internationalis. 

Dados desencontrados

No momento, a Cáritas Equador busca informações oficiais sobre a situação, uma vez que ainda existem dados desencontrados, oriundos de diversas fontes. Algumas estimativas falam neste momento em mais de 300 mortos em consequência do terremoto. A Cáritas Equador tem uma participação ativa nas tabelas de prevenção de riscos e considera que o Estado equatoriano tem uma organização capaz de atender às questões mais urgentes neste momento inicial pós-tragédia.

A tarefa da Cáritas incidirá especialmente na manutenção de uma comunicação permanente sobre o que está acontecendo, de forma a oferecer uma comunicação de “entrada” para todos e todas que acompanham as redes internacionais. Posteriormente, ao longo dos próximos dias, será lançado um Apelo Emergencial (EA, na sigla em inglês), quando serão seguidos os protocolos e orientações comuns da Caritas Internationalis para estes casos, com a concentração das atenções em situações de maior urgência e a preparação de uma resposta adequada em termos de realojamento, reconstrução e apoio às populações.

Pelas informações obtidas até este momento, sabe-se que as províncias de Esmeraldas e Manabi são as mais afetadas. No entanto, o terremoto atingiu grande parte do país, havendo danos consideráveis também em lugares como a província de Guayas, entre outras.

Por João Paulo Couto / Programa Gestão de Riscos e Emergências, com informações da Equipe de Resposta de Emergência da Caritas Internationalis e edição da Assessoria Nacional de Comunicação
Foto: Freddy Constante / Agência Lusa

 

MAGRE BRASIL

Faça parte dessa rede

Redes Sociais

Cáritas Notícias

Cadastre-se e receba por e-mail nossos informativos.
Prestação de Contas

Contato

Cáritas Brasileira
SDS - Bloco P - Ed. Venâncio III
Sala 410 - CEP: 70393-900


Brasília/DF
+55 (61) 3521-0350

caritas@caritas.org.br