English
Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte

  

 

A partir da aprovação na Assembleia Geral de 2015, a Cáritas Internacional passou a realizar uma campanha de mobilização mundial a cada quatro anos. Após a escuta de toda a rede mundial da Cáritas, e um olhar dirigido às principais feridas da humanidade hoje, desta vez a temática escolhida foi a questão dos imigrantes e refugiados. O lançamento da campanha global Compartilhe a Viagem vai acontecer na quarta-feira, 27 de Setembro de 2017.

Durante os dois anos desta campanha (2017-2019) toda a Rede Cáritas é chamada a responder ao apelo do Papa Francisco abraçando a “cultura do encontro” e fazendo uma proposta positiva diante da realidade atual na vida de imigrantes e refugiados.

Neste sentido, a Cáritas assume de forma ainda mais comprometida a sua identidade como uma família mundial, que encoraja as pessoas a refletir, aproximando imigrantes, refugiados e comunidades com o objetivo de mudar corações e mentalidades.

Este guia de ação da campanha ajudará todas as organizações membro da Cáritas a implementar as suas campanhas a nível local. É uma ferramenta que deve ser usada para promover a solidariedade global com imigrantes e refugiados. Só com a mobilização efetiva e corajosa de toda a Rede Cáritas, a campanha de fato terá um impacto positivo.

 

O grande objetivo da campanha é promover a “cultura do encontro”, aumentando os espaços e as oportunidades para que os imigrantes e as comunidades locais se encontrem e tenham uma troca de experiências. A falta de “encontros positivos” com o outro foi identificada como uma questão chave pelo grupo de trabalho da campanha. Neste sentido, o que se espera é que a campanha crie uma nova narrativa e promova um diálogo positivo sobre questões da imigração.

O Papa Francisco mostra o caminho

cards3

“Os migrantes são nossos irmãos e irmãs em busca de uma vida melhor, longe da pobreza, da fome, da exploração e da injusta distribuição dos recursos do planeta, que devem ser compartilhados equitativamente por todos”.

O Papa Francisco dá o exemplo quando fala sobre migração com uma profunda humanidade. As suas palavras e ações mostram o caminho a seguir. Dando o exemplo, o Papa lavou os pés de doze refugiados – muçulmanos, hindus, cristãos coptas e católicos. “Somos todos filhos do mesmo Deus”, disse ele. As lágrimas escorriam pelas faces dos refugiados. Foram bem recebidos.

O Papa Francisco esteve em Lampedusa no momento seguinte à morte de centenas de migrantes junto à costa. Levou esperança e consolo. Esteve também na Grécia, regressando com três famílias de refugiados sírios. Juntos, compartilharam refeições em sua casa. Também eles foram bem recebidos.

Na fronteira do México com os Estados Unidos, o Papa Francisco considerou a migração forçada como uma “tragédia humana”. Dirigiu-se a todos os que ajudam os migrantes, como sendo “o coração compreensivo e os pés acompanhantes da Igreja que abre os seus braços e os apoia”.

O Papa Francisco ilumina o caminho para todos nós, guiando esta viagem para criar a sua “cultura do encontro”, uma cultura de boas-vindas.

 

O nome da campanha

Um dos elementos que une as pessoas na vida é o fato de que estamos todos numa jornada, numa viagem, seja ela física, metafórica ou espiritual. Esperamos que a campanha global de conscientização seja uma oportunidade para ampliar a compreensão a respeito dos porquês do trânsito de milhares de imigrantes em suas viagens, desconstruir mitos e compreender quem realmente são os imigrantes, quem somos como comunidades e como uma família global através do aumento da empatia e compreensão.

Mas por que “compartilhe a viagem”? Após muitas reflexões, o grupo de trabalho internacional concluiui que o conceito é simples, porém suficientemente flexível para ser traduzido de várias maneiras e adotado em vários contextos, dependendo das necessidades das paróquias e das dioceses. Também tem raízes espirituais muito profundas e poderosas que podem ser vistas em histórias bíblicas tais como o Caminho de Emaús, a fuga dos israelitas do Egito, Jesus percorrendo o caminho do Calvário com a cruz.

O conceito está alinhado com os pontos fortes da Cáritas: o acompanhamento e a escuta de migrantes e imigrantes vulneráveis e a propagação dessas experiências para promover as vozes dos imigrantes a nível nacional e internacional. O nome encapsula uma maneira prática e simples de “acolher o estranho”.

Nossa campanha de conscientização pública será uma chance de quebrar preconceitos, temores e pensamentos enviesados, além de fomentar ideias que podem nos ajudar a quebrar as barreiras que nos mantém reclusos nos nossos mundos individuais. Será uma convocação a enxergarmos através dos olhos dos imigrantes, será um convite a calçarmos seus sapatos. Por esse motivo, “Compartilhe a Viagem” é a base da campanha global sobre imigração da Cáritas que tem início em 2017 e segue até 2019.

 

Como usaremos esse conceito

O conceito orientou a escolha do nome e logotipo para a campanha e ajudou a adaptar a mensagem no desenvolvimento dos materiais de comunicação que inclui cartazes, orações, histórias, fotos e um filme que deve ser produzido pela Cáritas Internacional no próximo ano. O mote “Compartilhe a viagem” também servirá de apoio para a ação global que marcará o início da campanha.

Podemos assim motivar pessoas que vivem a realidade da imigração e do refúgio e pessoas com convivem com as mesmas a compartilhar suas experiências; Podemos ainda realizar atividades em comunidades de acolhimento, como narração de histórias, concertos musicais, vivências gastronômicas e compartilhamento nas refeições, conectando imigrantes e reunindo histórias poderosas para a mídia local; Como atividade e iniciativa inspiradas na campanha podemos ainda apoiar imigrantes repatriados para contar suas histórias para outras comunidades das quais muitos deles saíram. 

O embaixador da campanha no Brasil

Após a confirmação de que o nosso lançamento nacional se daria no Rio de Janeiro, no Santuário do Cristo Redentor, achamos por bem acolher a sugestão do reitor do Santuário, pe. Omar Raposo, que nos motivou a estabelecermos o próprio Cristo Redentor como grande embaixador para a campanha. Quem melhor do que o Redentor para expressar e transmitir a mensagem e a convocação para a acolhida de imigrantes e refugiados? O Cristo Redentor é um ícone religioso e cultural reconhecido no Brasil e no mundo inteiro. Nele todos os brasileiros, imigrantes e refugiados certamente se reconhecem. A experiência de quem atua no Santuário no alto do Corcovado atesta que para além de crenças e religiões as pessoas se encantam e se acercam do Cristo Redentor. Motivados por diversos fatores, sejam eles de encantamento, de fé, ou de teor turístico, todos que de alguma maneira estiverem conectados com o Cristo Redentor nestes próximos dois anos estarão também sintonizados com a nossa campanha mundial. Ele será o porta-voz de todas as iniciativas, mensagens, incidências, ações ou boas notícias que a campanha no Brasil produzir.

cards

Como sabemos, o nosso objetivo é promover a “cultura do encontro” do Papa, fazendo crescer os espaços e as oportunidades para que os imigrantes e as comunidades locais possam se reunir, dialogar e passar à ação. Devemos acolher e defender os direitos dos imigrantes e refugiados.

Queremos que todos aqueles e aquelas com uma experiência de migração compartilhem a história da sua viagem – desde os próprios imigrantes, até pessoas que vivem em comunidades de onde estes imigrantes saem, por onde passam ou aonde chegam e se estabelecem.

Mais pessoas vão ouvir e compreender os motivos pelos quais as pessoas migram e as suas razões. A Cáritas acredita firmemente que os encontros positivos não só contribuem para mudar o debate em torno da migração, mas também contra o medo, o racismo e a xenofobia.

Incentivamos todos a escutarem esta mensagem, pois a migração tem muitas causas. Podem ser econômicas, como a busca de trabalho, ou sociais, como o reagrupamento com outros membros da família. Motivos políticos ou ambientais — guerra, perseguição ou dificuldades com o meio ambiente natural — também levam as pessoas aos processos migratórios.

Seja qual for a causa, a imigração tem impacto sobre o lugar e as pessoas que ficam para trás, o lugar de passagem e o lugar onde as pessoas finalmente se estabelecem. 

cards6 (1)

Advocacy rumo aos Pactos Globais das Nações Unidas

A Cáritas procura atingir o melhor resultado possível nas negociações entre os governos nacionais para os dois novos Pactos Globais das Nações Unidas. Apesar de não serem vinculativos, são acordos formais importantes — um sobre migrações e um para os refugiados — que os governos irão assinar para criação de sistemas mais humanos e coordenados para garantir a migração legal e segura como resposta ao fluxo de pessoas.

A decisão de criar os dois Pactos Globais das Nações Unidas saiu da primeira conferência sobre migrantes e refugiados, realizada em Nova Iorque em setembro de 2016. Após uma fase de consulta e negociação, os dois Pactos serão adotados em setembro de 2018.

O Pacto Global sobre Refugiados segue um roteiro elaborado pelo ACNUR — Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados. As organizações da sociedade civil (incluindo a Cáritas) poderão acompanhar o processo em reuniões que decorrerão entre fevereiro e julho de 2018.

A Organização Internacional para as Migrações (OIM) lideraa criação do Pacto Global sobre Migração Segura, Legal e Responsável. Também aqui as organizações da sociedade civil poderão suscitar as suas dúvidas e preocupações. O objetivo é não ter áreas cinzentas entre ambos os Pactos.

Será um desafio conseguir um acordo entre todos os países envolvidos — e, principalmente, conseguir a implementação e responsabilizar os países que o assinam.

A Caritas Internationalis tem estatuto de observador nas conferências preparatórias a nível global e pode emitir declarações escritas e orais. As organizações-membro nacionais da Cáritas e os Secretariados Regionais também podem participar de diferentes formas e a vários níveis. A Cáritas, a Igreja Católica e outras organizações católicas farão todo o possível para influenciar a criação desses novos e importantes Pactos.

Os Pactos devem estar alinhados com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e o que mencionam sobre a migração, nomeadamente na meta que tem por objetivo reduzir até 2030 para menos de 3% os custos de transação de remessas dos migrantes e eliminar os mecanismos de remessas com custos superiores a 5%. A Cáritas monitoriza o progresso daimplementação dos ODS e pretende trazer essa experiência aos dois novos Pactos Globais. Justiça, equidade, compaixão e proteção legal para os pobres e marginalizados constituem os princípios orientadores da Cáritas em matéria de mobilidade humana. 

Momentos chave da campanha

27 de setembro de 2017

 Lançamento da campanha com o apoio do Papa Francisco que vai fazer o gesto de lançamento no Vaticano com a presença de agentes Cáritas. O papa vai ouvir a história de migrantes durante a audiência geral de quarta-feira. No Brasil o lançamento nacional será no Rio de Janeiro, no Cristo Redentor, às 15h. O momento terá a presença de um representante da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, do Arcebispo do Rio de Janeiro, cardeal Orani João Tempesta, do Arcebispo de Aracaju e presidente da Cáritas Brasileira, dom João Costa, e outros convidados.

Fevereiro de 2018 em diante

Participação nas negociações intergovernamentais do Pacto Global das Nações Unidas.

Semana de 20 de Junho de 2018

 Participação na Semana de Ação Global para assinalar o Dia Mundial do Refugiado. No Brasil estamos pensando em um grande evento, com a presença e valorização da cultura de migrantes e refugiados, possivelmente também devemos organizar um seminário. No entanto, o formato e o local do evento ainda não foram definidos.

Setembro de 2018

 Presença nas Nações Unidas, aquando da adoção de dois Pactos Globais sobre Migrações e Refugiados.

Final de 2019

 Encerramento da campanha “Compartilhe a viagem”.

Propostas para ações básicas da campanha

 

Conhecer um migrante. Para ser desenvolvido de acordo com o conceito de “Compartilhe a viagem”. (setembro-dezembro de 2017).

Envolver-se com um migrante sendo solidários em suas necessidades básicas e valorizando por exemplo, sua cultura, seus talentos profissionais e artísticos, etc. (janeiro-dezembro de 2018). 

Advogar por mudanças estruturais na migração a nível local, nacional, internacional (setembro de 2018 a setembro de 2019).

Principais mensagens da campanha 

 

  1. Conheça um imigrante, acolha-o nas comunidade e reconheça seus direitos e dignidade humana.
  2. A imigração é uma oportunidade para analisar nossas diferenças e semelhanças e entender como estamos todos conectados. Podemos combater a globalização da indiferença com a globalização do encontro.
  3. Os imigrantes devem ter a opção de permanecer em seus países ou o direito de ir legalmente e com segurança para outro país. Imigração implica direitos e responsabilidades de todos os lados.

Compartilhe a jornada em sua comunidade

 

Gostaria de fazer uma mudança positiva na sua comunidade e fortalecer os laços da família humana? Então nós o convidamos para se juntar à campanha da Cáritas, Compartilhe a Viagem.

A campanaha Compartilhar a Vaigem tem como objetivo aproximar os imigrantes e os refugiados das comunidades locais criando mais espaços e oportunidades para que se conheçam e compartilhem suas histórias e experiências.

O Papa Francisco vai lançar a campanha na Praça de São Pedro, em Roma, a 27 de setembro de 2017, convidando comunidades de todo o mundo a se aproximar e conhecer imigrantes e refugiados. Se quiser apoiar esta convocação do Papa, você pode organizar um evento especialmente em comunidades onde vivem pessoas em situação de imigração, essas pessoas podem ser ouvidas, elas podem contar as próprias histórias.

O papa Francisco tem insistido que precisamos combater a “cultura da indiferença” com a “cultura do encontro”. Esta será uma grande oportunidade para assegurar que nossas comunidades sejam locais onde a cultura do encontro prospera e onde a dignidade total dos imigrantes e dos refugiados seja reconhecida.

cards10

Compartilhe fotos e citações nas mídias sociais

 

Convide os imigrantes, os refugiados, os membros da comunidade a se fotografarem no gesto simbólico da campanha que constiste em abrir os braços em um gesto de acolhida aos imigrantes e apoio á campanha. Pedimos que você compartilhe em mídias sociais (Facebook, twitter, instagram ou outros canais que você use) com a hashtag #sharejourney em ou após o dia 27 de setembro.

Se o seu fotografado concorda em ser citado, você pode compartilhar algumas das citações ou pensamentos dessa pessoa a respeito do tema da imigração e refúgio nas mídias sociais. Faça a fotografia preferencialmente em um cenário que você acredita ser relevante para a campanha. É preferível, por exemplo, locais relacionados à migração — fronteiras, projetos de imigrantes, portos, aeroportos, rodoviárias ou marcos regionais e nacionais. Sempre que publicarmos as fotos devemos colocar as seguintes hashtags: #sharejourney #Compartilheaviagem

Para que você possa dinamizar as ações da campanha em sua comunidade, paróquia ou grupos disponibilizamos aqui materiais que podem ser utilizados. 

Cartazes para impressão

Guia da Campanha no Brasil

Folder para impressão

Camiseta Frante

Cards para Redes Sociais

 

 

Press Release

Assessoria de Comunicação

Jucelene Rocha 

Tel. (61) 3322-0166 

E-mail: comunicacao@caritas.org.br