Diminuir tamanho da fonteAumentar tamanho da fonte

Congresso da Cáritas divulga Carta de Aparecida

14 de novembro de 2016

CARTA DE APARECIDA

“Os direitos humanos são violados não só pelo terrorismo, a repressão, os assassinatos,
mas também pela existência de extrema pobreza e estruturas econômicas injustas,
que originam as grandes desigualdades.”
(Papa Francisco)

O V Congresso da Cáritas Brasileira aconteceu em Aparecida-SP com a participação de mais de 500 representantes de todas as regiões do Brasil, e de representantes das Caritas irmãs e de entidades parceiras de algumas partes do mundo, homens e mulheres; jovens e idosos; do campo e da cidade; das florestas e das águas que juntos vivenciaram, com a benção da Mãe Negra Aparecida, vieram concretizar um ano de celebrações dos 60 anos com presença e atuação da Cáritas Brasileira, tendo por tema Pastoralidade e Transformação Social.

Para seguidores e seguidoras de Jesus, o Bom Pastor, toda celebração tem sentido de JUBILEU: dar graças e alegrar-nos por tudo que representou o avanço na realização da missão; na identificação e superação das falhas e na defesa das novas prioridades como resposta aos recentes gritos e desafios dos pobres.

Mesmo sentindo-nos duramente afetados pela crise política que se aprofunda em nosso país e no mundo, com práticas de corrupção, golpes e ameaças aos direitos sociais que levam as pessoas a desacreditar na democracia; mesmo sentindo-nos em comunhão com a insegurança e sofrimento que um número crescente de pessoas vivencia por causa do paradigma de desenvolvimento promovido pelo sistema capitalista dominante; e mesmo sentindo-nos frágeis para enfrentar tantas ameaças e desafios como, por exemplo, o desemprego crescente, a violência contra os jovens negros, as pessoas em situação de rua, às lideranças sociais, contra os defensores de direitos humanos, as mulheres, e também contra a mãe, exemplificado pelo crime da contaminação e morte do Rio Doce e de tantos rios brasileiros. Nada! E nem ninguém nos roubará a esperança.

Como resposta aos apelos de Deus e na fidelidade do seguimento de Jesus de Nazaré, assumimos, corajosamente, a missão de Testemunhar e anunciar o Evangelho de Jesus Cristo, defendendo e promovendo toda forma de vida e participando da construção solidária da sociedade do Bem Viver, sinal do Reino de Deus, junto com as pessoas em situação de vulnerabilidade e exclusão social. Somos testemunhas dos avanços e conquistas dos grupos, das organizações e dos movimentos sociais, e queremos que todos se alegrem junto aos pobres. Reafirmamos que não devemos recuar: nenhum direito a menos.

É inaceitável para nós, e desejamos que o fosse também para todas as pessoas seguidoras de Jesus e que tem sentimento de humanidade, o domínio de um sistema que concentra nas mãos de 1% da população a mesma renda que nos outros 99%. É igualmente inaceitável que esta minoria continue promovendo o sistema de produção, consumo, descartes e especulação, fenômenos responsáveis pela fome, o aquecimento global e as mudanças climáticas que colocam em risco a vida na terra. Assumimos junto ao Papa Francisco que este é um sistema que mata, e que exclui os pobres e a terra.

Partimos deste jubileu de 60 anos com o compromisso de colocar em prática com maior empenho a mensagem profética da Mãe Negra Aparecida: estarmos juntos, e caminhar com os pescadores artesanais, povos indígenas e quilombolas e com todos os povos e comunidades tradicionais em suas lutas pelos seus territórios. Lutar, também, pelo fim da exploração, contaminação e envenenamento dos solos, das águas, dos rios e do mar, para que todas as pessoas participem do milagre da pesca e de alimentos agroecológicos abundantes que Deus Criador, a Mãe Terra e todos os trabalhadores e todas as trabalhadoras querem oferecer ao povo.

Em vistas disso, assumimos novas prioridades e convidamos todas as pessoas a assumí-las, participando da (I) promoção e fortalecimento de iniciativas locais e territoriais na construção da sociedade do Bem Viver, da (II) defesa e promoção de direitos, construção e controle das políticas públicas, da (III) organização, fortalecimento e sustentabilidade da Rede Cáritas e da (IV) formação permanente do voluntariado como concretização da nossa missão.

Que Deus nos mantenha firmes neste caminho de construção de uma sociedade brasileira e mundial assentadas na justiça, na cooperação, na simplicidade entre os seres humanos, assim como nas relações de amor, de cuidado e de harmonia com todos os seres da Mãe terra, sendo e vivenciando as sociedades do bem viver.

 Aparecida, São Paulo, 12 de Novembro de 2016.

Leia mais:

Página especial do V Congresso Nacional da Cáritas Brasileira

O que nos falta é a radicalidade do Evangelho de Jesus

Plínio de Arruda e Roberta Traspadini debatem conjuntura política

Começa o V Congresso Nacional da Cáritas Brasileira!

Cáritas Brasileira lança carta: “Nenhum direito a menos!”

Cáritas e pastorais publicam Carta em Defesa da Democracia

MAGRE BRASIL

Faça parte dessa rede

Redes Sociais

Cáritas Notícias

Cadastre-se e receba por e-mail nossos informativos.
Prestação de Contas

Contato

Cáritas Brasileira
SDS - Bloco P - Ed. Venâncio III
Sala 410 - CEP: 70393-900


Brasília/DF
+55 (61) 3521-0350

caritas@caritas.org.br